A queda de cabelo atinge homens e mulheres em diversas faixas etárias | Notícias de Fato

A queda de cabelo atinge homens e mulheres em diversas faixas etárias

By 27/07/2016Destaques
IMG_20160727_214517

A estudante Dayanne Fernandes sofre com a queda de cabelo decorrente do stress

Saiba quais são as causas e como tratar a perda do cabelo

Os cabelos representam muito na personalidade de uma pessoa. Cada um tem o seu gosto preferido de corte, tonalidade de cor e estilo. Muitas pessoas nem se imaginam sem seus cabelos, seja qual for a causa. Mas, para manter os cabelos sempre bonitos, brilhantes e com o volume ideal, algumas recomendações são muito importantes.

A queda dos fios dos cabelos pode ser causada, principalmente, por uma predisposição genética individual, afetando homens e algumas mulheres e, por um eflúvio telógeno. Stress, hipotireoidismo, anemia, regimes alimentares sem acompanhamento, pós-operatórios, quadros infecciosos agudos, uso de algumas medicações e distúrbios hormonais, como a síndrome dos ovários policísticos, podem, também, causar a queda de cabelo.

O Dr. Luciano Morgado, médico e dermatologista, explica que há uma queda de cabelo atípica, a alopecia areata. Esta difere das demais por ter origem autoimune, na qual o próprio organismo desencadeia uma resposta imunológica contra os fios, resultando em áreas arredondadas de perda de cabelo. Algumas vezes, pode afetar todo o couro cabeludo e os pelos do corpo. “A mulher pode observar a queda do cabelo ao lavá-los ou penteá-los. A partir de 100 fios diários já é anormal e é preciso buscar a ajuda de um especialista”, orienta o médico.

No consultório, a avaliação envolve o exame clínico pelo dermatologista, a história clínica individual e alguns exames laboratoriais. No exame clínico o dermatologista pode realizar também a dermatoscopia do couro cabeludo e o tricograma capilar digital (trichoscale), que pode auxiliar na confirmação dos casos de eflúvio telógeno ou de alopecia androgenética. “Não menos importante, são pesquisados fatores causais na história clínica do paciente e solicitados exames laboratoriais para complementar a investigação, como o hemograma, dosagem de ferro, dosagens hormonais e de algumas vitaminas e minerais”, diz o Dr. Luciano.

Com a conclusão do diagnóstico, cabe ao paciente fazer o tratamento e recuperar os fios de cabelos perdidos e ter uma vida melhor. O médico explica que na alopecia androgenética o tratamento é contínuo, devendo ser feito o uso conjugado de medicações por via oral e por via tópica. Em muitos casos, é associado ao tratamento com medicamentos a mesoterapia ou intradermoterapia capilar, no qual os medicamentos são aplicados no couro cabeludo com micro agulhas, quinzenalmente ou mensalmente, a depender do quadro clínico.

“Podem ser associados ainda alguns lasers de baixa intensidade, que também promovem uma fotobioestimulação dos folículos. No eflúvio telógeno podem ser utilizados a mesoterapia, o laser e alguns medicamentos por via oral e tópicos, mas é importante a correção da causa identificada, como uma anemia ou baixa de ferro ou um distúrbio hormonal, por exemplo”, completa o dermatologista Luciano Morgado.

Serviço:

Monte Parnaso – Cuidados à flor da pele

Centro Médico Júlio Adnet, SEPS 709/909 Bloco A Clínica 9 1° subsolo

Contato: (61) 3263-0833 / 3263-0834

www.monteparnaso.com.br

Siga também os perfis nas redes sociais.

Leave a Reply

Powered by themekiller.com